Vídeo

DIY: Parede de tijolos fake

Quem não gostaria de abrir a porta de casa e dar de cara com um ambiente acolhedor e bonito, daqueles que te convidam a tirar os sapatos e se derramar no sofá depois de um dia cansativo?

No corre-corre da nossa vida cotidiana, principalmente nas grandes metrópoles, nos vemos bombardeados de informação e cobrança, muitas vezes esquecendo de dar a devida importância para esse lugar tão especial que nos ajuda a recarregar as energias para o próximo dia, a nossa casa.

Grande parte das pessoas, principalmente aquelas que estão como o seu primeiro apartamento, dizem que por morarem em um lugar alugado, ou por não terem muita grana para investir em reformas, não conseguem ter um espaço que reflita seu estilo, suas crenças ou ideais. Já eu digo que não poderiam estar mais enganadas!

Como arquiteto, sempre tive a necessidade de criar espaços que, além de funcionais, tivessem a identidade dos meus clientes, indo além de simplesmente entrar em uma loja, gastar todo o cartão de crédito alheio ao comprar coisas que em seis meses já não estarão mais “em alta”, pois para mim, uma casa que reflete o seu dono é uma casa atemporal.

Com esse pensamento, surgiu o the HOUSE lab, um laboratório de ideias para te ajudar a deixar sua casa do seu jeito, sem gastar muito. Neste primeiro vídeo, eu vou te ensinar como é possível fazer uma parede de tijolo aparente, sem quebra-quebra utilizando um material super barato: o isopor!

Além de super contemporânea e descolada, é o tipo de técnica ideal para deixar uma sala, quarto ou hall de entrada mais aconchegante, dando textura para aquela parede que você não sabia como ia resolver.

No video abaixo tem o passo-a-passo de como você pode usar essa dica na sua casa.

Vídeo

Marcos Tolentino: Ai, que vida boa, olerê! Ai que vida boa, olará!

“Ai, que vida boa, olerê! Ai que vida boa, olará! O estandarte do Sanatório Geral vai passar!”

Março de 2018. Passada a alegria fugaz, a ofegante epidemia, que se chamava Carnaval, Betinho Neto me convidou, numa conversa de pia de cozinha no apartamento dele, para fazer parte e retomar um projeto antigo: a Sanatório Geral. Entre um litrão e outro de cerveja, me deixei levar pelos argumentos e me convencer principalmente pelo poder sanador que um projeto como a Sanatório um dia teve para ele, e que poderia vir a ter para nós: os novos colaboradores.

Num momento em que nossa pátria mãe está novamente tão distraída, sem perceber que é subtraída, em temerosas transações, a Sanatório ressurge como um espaço em que queremos cantar, com a maior diversidade de vozes possíveis, a evolução e a beleza da liberdade, até o dia clarear. Um espaço de intervenção, num momento em que vemos muitos dos nossos canais pouco a pouco serem limitados ou silenciados.

Abrir as portas da Sanatório é abrir espaço para a expressão das vozes daqueles personagens que ganharam as ruas no Carnaval cantando por Chico, que eu me insipirei para escrever esse texto, e que foram reatualizados com novas caras, como vemos e sentimos nas ruas de São Paulo. Diversidade sempre foi e continuará sendo o estandarte defendido pela equipe da Sanatório. Diferentes cores, olhares, vozes, identidades, ideias, concepções, imagens, contribuições. Tudo para tirar o nosso leitor do seu lugar comum, e apresentá-lo outros universos, outras loucuras e outras possibilidades.

Bem-vindos à Sanatório Geral! Muito axé e que seja uma internação prazerosa para todos nós!